O que acontece no nosso cérebro quando passamos tempo na natureza e em contacto com as plantas? Como podem as plantas ajudar a reduzir o stress, a ansiedade e a sentirmo-nos conectados com o mundo exterior em tempo de pandemia?

O contacto com a natureza tem sido associado, em diversos estudos realizados, a uma melhoria da saúde das pessoas. O tempo gasto a circular em ruas arborizadas, jardins, parques e espaços florestais e agrícolas, está consistentemente ligado a uma melhoria, a curto e longo prazo, quer da saúde física quer da saúde mental dos seus utilizadores. Quanto menos vegetação existir no ambiente em que se vive ou circula, maior o risco de ocorrência de casos de morbidade e mortalidade.

A simples observação da natureza e o contacto com os sons da mesma, contribuem para importantes impactos no cérebro das pessoas. A nível cerebral as pessoas que sofrem de pensamentos negativos constantes beneficiam de uma caminhada de 90 minutos na natureza em comparação com aquelas que caminham os 90 minutos em ambiente urbano, resultando numa acalmia da atividade do cérebro associada à ocorrência desses pensamentos. A realização de simples exames sanguíneos a utilizadores antes e depois de caminhadas em diferentes ambientes revelaram que os níveis de defesas do sistema imunológico aumentam após caminhadas na floresta, contudo os mesmos não aumentam quando estas caminhadas são feitas em ambientes urbanos.

Por tudo isto é necessário promover o contacto com a natureza, quer seja através de caminhadas em parques e jardins, quer seja pelo simples contacto com o solo através da plantação de vasos nas nossas varandas e terraços.


Gostou deste vídeo? Então dê uma vista de olhos noutros vídeos que partilhamos no nosso blog ou então no nosso canal no Youtube!

Tem alguma questão? A melhor forma de nos perguntar é usando o formulário de contacto da nossa página de internet. Se preferir também pode deixar-nos uma mensagem privada no Twitter ou no Instagram. Teremos todo o gosto em ajudar!

🔔 SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

📌 Texto original disponível em: <https://www.vox.com> acedido em: 12 de Novembro de 2020.